SAC ou Price? Qual financiamento é melhor para você?

A compra de um imóvel sempre envolve uma grande quantia de valores e, muitas vezes, o comprador precisa (ou mesmo opta por) recorrer a um financiamento bancário. Nesse momento, é preciso optar por um sistema de amortização do empréstimo que vai pedir. Os mais praticados são a Tabela Price e o sistema SAC (Sistema de Amortização Constante), mas você sabe qual a diferença entre eles?

O sistema de amortização nada mais é do que a forma como a dívida será paga ao longo do prazo de financiamento. É importante analisar as particularidades de cada opção e, independente do sistema de amortização escolhido, sempre optar pelo prazo mais curto possível, a fim de pagar menos juros.

E existe alguma opção que seja melhor que a outra? Na verdade não. Existe aquela que se adequa melhor ao perfil de cada cliente, de cada situação, de cada momento. Vamos então entender como funciona cada uma.

Na tabela Price, as parcelas são fixas. Nesse sistema, a maior parte das primeiras prestações é formada por juros e, muito pouco por amortização. Ao longo do financiamento, a composição das parcelas vai mudando. O valor do juros cai e o da amortização sobe. Porém, o valor das parcelas se mantém sempre fixas. É por isso que, alguém que opta por esse sistema e, poucos anos depois resolve quitar a sua dívida junto ao banco, muitas vezes se surpreende ao ver que o valor total da dívida contratada ainda continua muito parecido ao valor inicial. Isso acontece porque o que é pago de início é basicamente juros. A dívida, em si, segue quase que intacta até o momento em que essa composição das parcelas vai se modificando. No entanto, essa é uma excelente opção para aqueles que não podem pagar um prestação inicial muito alta ou mesmo que preferem a segurança de uma parcela fixa.

Já no caso do Sistema de Amortização Constante (SAC), as parcelas todas mantém o mesmo valor de amortização, porém o valor do juros pago vai diminuindo ao longo do financiamento. O que, consequentemente, ocasiona também a redução do valor das parcelas. Por isso é que, nesse tipo de amortização, o cliente começa pagando uma parcela com valor mais elevado e termina o financiamento pagando uma parcela de valor consideravelmente mais baixo. Esse sistema torna-se mais atraente para aqueles que podem se comprometer com uma parcela mais alta, de início, pois gera uma economia significativa de juros ao final do financiamento, se comparado à tabela Price.

Em resumo, no sistema SAC você amortiza mais no começo do contrato, o que torna a 1ª prestação do financiamento cerca de 25% maior do que na Price, quando consideramos a mesma taxa de juros. No entanto, quando comparamos o valor final pago no financiamento, sem considerar a correção monetária, no sistema SAC esse valor será em torno de 15% menor do que na PRICE.

Portanto, se o comprador suportar uma prestação mais alta, o sistema SAC é mais indicado, já que gera maior economia ao final do contrato. Porém, é preciso ter o cuidado de não comprometer mais do que 30% da renda familiar do comprador com as parcelas do empréstimo. Levando em conta esse percentual, muitas vezes, a tabela Price é mais indicada.

Artigos relacionados

Como otimizar e decorar ambientes pequenos

Já notou que os apartamentos diminuíram? Provavelmente você já percebeu que as plantas de hoje...

Continue lendo

Já ouviu falar do Light in the box? O novo “Aliexpress da decoração” já é febre entre os sites de compras online…

Quer renovar a decoração da sua casa pagando pouco? Olha só que bacana a nossa dica de hoje. O...

Continue lendo

A influência da vizinhança na hora da escolha do imóvel

Quais os itens mais importantes na hora de buscar um imóvel? Tamanho? Preço?...

Continue lendo

Junte-se à discussão